logo-meios-de-transporte.png












Transporte Terrestre
 
Os transportes terrestres se dividem em três: rodoviário, tubular e ferroviário. Confira:
 
Carro PrataTransporte terrestre rodoviário: acontece nas rodovias (estradas). No Brasil, representa a maior parte dos transportes, seja de carga ou de pessoas. Os veículos usados nesse tipo de transporte terrestre são os carros, ônibus, caminhões e motocicletas.

Existe um órgão do Governo Federal responsável por preservar e fiscalizar o transporte terrestre em todo território nacional, a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). Ela cuida também dos transportes ferroviários, além dos rodoviários.

Quem possui um veículo, deve pagar todos os anos um imposto ao governo do estado onde mora, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). A cobrança incide sobre qualquer um que possua um veículo automotivo, como carro, moto ou caminhão. A verba do imposto tem como finalidade manter as condições das vias de acesso utilizadas pelos motoristas.  

 
Automóvel: história e tecnologia
 
Automóvel AntigoO primeiro automóvel foi criado em 1885, por Karl Benz, na Alemanha. Tinha motor movido à gasolina e somente três rodas. Logo, outros fabricantes tentavam aperfeiçoar a invenção sobre rodas e colocá-la no mercado. Foram idealizados novos modelos na Europa e nos EUA.  
 
Depois da Primeira Guerra Mundial, os fabricantes começaram a produzir os automóveis em série; nessa época, as fábricas estavam nos países mais desenvolvidos e a concorrência era muito acirrada. No Pós-Segunda Guerra é que eles começaram a chegar com mais força nos países da América Latina.

No Brasil de Getúlio Vargas, o mercado estava aberto para grandes marcas como Ford e General Motors, desde a década de 1930. Mas foi no governo de Juscelino Kubitscheck que os automóveis começaram a ser também fabricados em território nacional, o que os fez, ao longo do tempo, mais acessíveis ao brasileiro.

Por conta da abertura, estradas tiveram que ser construídas em todo país para os carros. Depois da década de 90, mais marcas chegaram ao Brasil, os modelos foram se renovando, assim como a tecnologia dos automóveis. Hoje, os carros não param de ser reinventados, as mais novas tecnologias garantem maior segurança, facilidades para passar marcha (carros automáticos) e para estacionar a partir de câmeras embutidas.

Carros elétricos

Conhecidos por serem mais econômicos e menos poluentes que os carros a gasolina, os carros movidos por um motor de carro elétrico têm ganhado destaque por causa dos benefícios que pode trazer em longo prazo para o meio ambiente.

Eles começaram a ser fabricados por medo do aumento do preço do petróleo, mas o apelo ecológico tem sido o mais pertinente para colocá-lo no mercado, à disposição do consumidor. Trata-se de um carro comum, pelo menos por fora, e o motor é que traz algumas inovações.
 
Ele funciona por causa de baterias que armazenam a energia química, que se transforma em elétrica. Essa será transformada em energia mecânica nos motores, o que permitirá a locomoção do automóvel.
 
Carro anfíbio
 
Carro Anfíbio
 
Possui esse nome porque, assim como os animais dessa classificação, tem facilidade de ficar na água e na terra. Eles foram pensados inicialmente para servir aos exércitos, pois facilitaria a locomoção em missões que exigissem atravessar lugares alagados e até mesmo rios, sem problemas.
 

Principais marcas de carros
                                        

 

 Audi
  Fiat
 Mitsubishi 
 BMW Ford Nissan
 Chevrolet
 Honda
 Peugeot
 Citroën
 Jaguar Renault
 Dodge
 Lamborghini Volkswagen
 Ferrari Toyota 

 

 
Motocicleta

A motocicleta é um projeto de aprimoramento da bicicleta. Os primeiros modelos foram desenvolvidos entre 1868 e 1869, com motores a vapor. Até 1885, com a invenção da motocicleta movida à gasolina, alguns engenheiros europeus já tinham trabalhado para melhorar o desempenho da máquina, tanto que ela chegava a rodar em uma velocidade aproximada de 64Km/h, o que era muito para época. Na França, produziu-se a primeira moto para comercialização em 1894.

Fileira MotosMas foi nos EUA que esses veículos começaram a se popularizar, principalmente no início do século XX. Nessa época, elas se tornaram símbolo de modernidade, por causa da tecnologia dos motores de explosão. No fim da Segunda Guerra Mundial, as motos representavam a rebeldia e a negligência dos jovens da época.

Grupos que se reuniam por terem em comum a moto e a filosofia de viver sem destino trouxeram a fama das motocicletas que se propaga até hoje, através do estereótipo dos motoqueiros cabeludos vestidos com roupas de couro. É o caso do grupo californiano “Hells Angels”, formado em 1948, que ganhou fama por causa dos filmes hollywoodianos.

O filme Easy Rider, sem destino (1969), do diretor Dennis Hopper, ficou famoso por mostrar a realidade dos motociclistas americanos daquela época. É um filme de contracultura. Marcou toda uma geração, principalmente por mostrar como protagonistas dois anti-heróis. Os personagens principais eram traficantes de droga que viajam de moto pelos EUA com o objetivo de chegar à Nova Orleans para a festa de carnaval (Mardi Gras).
 
Transporte terrestre tubular e ferroviário
 
Transporte terrestre tubular: consiste em transporte de líquidos e gases combustíveis em longas distâncias. Os produtos são distribuídos por bombas de compressão ao longo de tubos. Esse tipo de transporte exige toda uma infraestrutura para distribuir os combustíveis do local de origem até o destino certo, além de um alto investimento em manutenção. Mas é com certeza o mais prático, acessível e econômico para esses casos.

Vagão TremTransporte terrestre ferroviário: efetuado por meio de uma locomotiva que anda através de uma via férrea. Desde o século XIX que a construção de ferrovias é sinônimo de crescimento econômico. Durante a Revolução Industrial, elas foram muito importantes para expansão da indústria e o desenvolvimento de toda Europa. Nos Estados Unidos, a conquista do oeste se deu a partir da construção dessas vias, que levavam os grandes empresários e mercadorias para o lado inóspito do país.

Os primeiros trens serviam as minas de carvão, era um transporte ainda lento que começou a servir para outros fins. Movido a vapor, a energia era transformada a partir da queima de carvão mineral. A tecnologia foi substituída, mas ainda existiam as locomotivas a diesel e elétricas.

No Brasil, o transporte ferroviário foi bastante negligenciado. A infraestrutura já está muito velha, a tecnologia não foi renovada, trata-se hoje de um meio praticamente inviável no território nacional. O governo investiu na malha rodoviária, pavimentou estradas e abriu mercado para as concessionárias internacionais, o que explica a maior eficácia dos transportes rodoviários.

Exemplos de outros transportes ferroviários
 
  • Metrô: transporte urbano para tráfego de pessoas. É uma opção prática para fugir de congestionamentos, costuma ser muito mais rápido que os carros e ônibus. Pode ser movido a óleo diesel ou eletricidade.
  • Vagões BondeBondes: implantados entre o fim do século XIX e início do século XX, são encontrados nas áreas mais antigas de algumas cidades. Sua locomoção se dá sobre carris e é destinada exclusivamente a transporte de passageiros.
  • VLT (veículo leve sobre trilho): movido por energia elétrica, é um tipo moderno de bonde, feito com uma estrutura mais leve. O objetivo dele é atender a demanda de transporte de passageiros em grandes cidades. Atualmente, existem projetos para implantá-lo em algumas metrópoles brasileiras para desafogar o sistema de transporte público para Copa de 2014.

 

 

 

 

Meios de Transporte <<-- Transporte Terrestre -->> Transporte Aquático