Meios de Transporte








Meios de transporte
rodas de trem.jpgOs meios de transporte são o reflexo da sociedade. Conforme o homem evoluía, a maneira de se transportar se transformava. Primeiro, a necessidade o fez  pensar em meios básicos para ajudá-lo, como construir botes para atravessar rios e usar animais como força de tração. Depois, a ciência o auxiliou: foram construídos meios de transportes mais rápidos, mais seguros e que chegavam cada vez mais longe, a ponto do homem conseguir chegar ao espaço.

Os transportes são divididos basicamente em três tipos: terrestres, aquáticos e aéreos. Os transportes terrestres podem ser divididos em rodoviário, ferroviário e tubular. Os aquáticos podem servir para fins comerciais e para as necessidades básicas de algumas comunidades ribeirinhas, onde é o único meio. Já os transportes aéreos, que são mais recentes, têm como vantagem a rapidez, são mais eficientes comercialmente e tem sido os preferidos para viagens internacionais e nacionais.

Apesar da evolução, o transporte se transformou em um problema nos últimos anos. As grandes cidades possuem grande fluxo de pessoas circulando todos os dias. O tráfego por terra tem ficado mais lento, conforme o número de carros aumenta e o transporte público não atende às necessidades da população: são lotados, circulam em quantidade insuficiente e são muito mais lentos. Esses problemas não são os únicos: as emissões de gases que contribuem para o efeito estufa, que ocorre com a queima de combustíveis fósseis, são  responsáveis por grande parte da poluição do ar nas cidades.
 
Mas quando se trata de transportar pessoas, o automóvel é o principal meio de transporte do Brasil; ele se tornou mais popular quando a indústria automobilística se instalou no país na década de 50. Desde então, o acesso se tornou maior, assim como número de carros nas ruas. A consequência de tantos carros são os congestionamentos e também os acidentes .

Dessa forma, a segurança no trânsito é muito  importante: motoristas e passageiros devem ter noções básicas de como podem prevenir acidentes. O uso do cinto de segurança é a mais básica de todas as recomendações, assim como manter as crianças em uma cadeirinha ideal para sua idade, no banco de trás. Depois, a atenção e a responsabilidade que os motoristas devem ter para não causar nenhuma tragédia são essenciais.
 

História dos Meios de Transportes

 

No princípio, o homem se locomovia apenas caminhando. A pé, ele venceu grandes distâncias, muitas vezes descalço. À medida que se desenvolvia intelectualmente, pode aperfeiçoar seu transporte anatômico, produzindo os primeiros sapatos com couro de animais para proteger os pés, o que dava resistência para chegar mais longe.

 

Segundo alguns estudiosos, o primeiro meio de transporte inventado foi aquático, ainda na Pré-História. Para construir as canoas e botes usados para atravessar rios e lagos, os homens usavam troncos de madeira, bambus e juncos.

 

carroca É possível que o transporte terrestre pioneiro tenha sido o trenó, uma espécie de prancha de madeira puxada por um animal doméstico, como cachorros ou mesmo por outras pessoas. A domesticação de animais inovou o transporte terrestre, cavalos, burros, camelos e bois, por exemplo, passaram a ser usados para facilitar a locomoção humana.

 

Um elemento muito importante é a roda: ela proporcionou, a partir de sua invenção, em 3000 a. C., na Mesopotâmia, uma revolução. Apesar de rudimentar e muito pesada, foi possível tornar o transporte mais eficaz quando elas foram aplicadas em carros tracionados por animais de grande porte, domesticados pelo homem.

 

Na antiguidade, foram construídas estradas, pavimentadas com pedras, para facilitar a passagem dos veículos com rodas para diversos fins (construção civil, comercial, político, social etc.). Os primeiros povos a construir estradas foram os egípcios, mas com certeza os que mais se destacaram foram os romanos, que tinham como intenção ligar Roma aos territórios dominados pelo seu grandioso império.


Evolução

 

Os meios de transporte não ficaram estagnados. Conforme o tempo passou e as necessidades do homem mudaram, a forma de se transportar também evoluiu. Hoje, podemos dizer que vencemos a distância: a velocidade nos permite chegar cada vez mais longe em menos tempo.

 

Para chegar a esse estágio de tamanha eficiência, os transportes precisaram evoluir de acordo com os conhecimentos que a humanidade ia adquirindo. O exemplo mais extraordinário é a Expansão Marítima, no século XV. Todo conhecimento científico sobre os ventos, a invenção do astrolábio e da bússola, a construção das caravelas facilitou a saída dos europeus de seu continente e a chegada ao outro lado do Atlântico. O que desencadeou a descoberta das Américas e sua conquista.

 

trem No século XIX, o trem foi a sensação. Após muitas tentativas de diversos cientistas para criá-lo, o inglês George Stephenson foi considerado o inventor do primeiro transporte ferroviário da história. Os primeiros trens não eram muito velozes, viajavam a uma velocidade de aproximadamente 45Km/h, o que tornava as viagens inseguras, por causa dos roubos aos vagões.

 

Com o passar do tempo, a maria-fumaça, como era conhecido o transporte ferroviário a vapor, foi se modificando e no fim do século era o meio mais moderno usado  para transportar pessoas e mercadorias de forma eficiente no mundo todo.

 

O primeiro automóvel criado na Alemanha, por Carl Benz, em 1886, foi se aprimorando e durante todo século XX, não parou de ser renovado, no design, na tecnologia e na acessibilidade.

 

No entanto, um grande feito foi o de Santos Dumont. O brasileiro que voou nos céus de Paris a bordo do 14-Bis, em 1906. Dumont foi considerado o inventor do avião. O seu trabalho abriu a possibilidade de investir mais no transporte aéreo que trouxe tanta facilidade para o mundo moderno.

 

Ainda no século XX, a ambição do homem o levou ao espaço. A Corrida Espacial entre EUA e URSS possibilitou a rápida evolução dos transportes espaciais. Os foguetes, naves e ônibus espaciais que desenvolveram não tardou em transportar astronautas para lua e tornar uma realidade a sua saída constante da Terra para pesquisas.